Percepção 62 – Manhã de 02/05/2013

O dia amanheceu com muito poucas nuvens no céu e com as ruas e calçadas sequinhas. Céu azul claro em todos os quadrantes com uma leve gaze branca de nuvens de altitude aqui e acolá. Uma leve brisa era percebida pelo movimento sutil na folhagem das árvores da pracinha. Temperatura de 22,5C, às sete e três dessa quadragésima quarta manhã de outono.

Diversos cantos e trinados vindos das copas das árvores e dos telhados da vizinhança em todas as direções. A passarada, como sempre acontece quando não está chovendo, fez grande algazarra desde as primeiras horas de claridade. Uma rolinha foi quem se equilibrou nos fios de iluminação e chegou mais perto da varanda nas primeiras horas do dia enquanto o canto do bem-te-vi, sempre o primeiro, foi ouvido das antenas dos telhados da vizinhança.

Na meditação de hoje, de olhos abertos, olhar suave na paisagem mutante, vista através dos vidros da varanda. Depois disso, durante o período de contemplação e reflexões, após a leitura de “A lua numa gota de orvalho” com os escritos do mestre Dogen, um parágrafo chama minha atenção com uma visão holográfica do todo e parte:

“[…] há infindas formas e centenas de folhas de relva por toda a terra e, no entanto, cada folha de relva e cada forma em si mesma é a terra toda.”

Eduardo Leal
Fotos de Eduardo Leal

Registro de temperatura

Rua e calçadas sequinhas

Panoramica

Rolinha no fio

Anúncios

Percepção 60 – Manhã de 30/04/2013

O dia amanheceu sem nenhuma nuvem e com as ruas e calçadas sequinhas. Céu azul claro em todos os quadrantes. Uma leve brisa era percebida pelo movimento sutil na folhagem das árvores da pracinha. Temperatura de 21,8C, às seis e dezoito dessa quadragésima segunda manhã de outono.

A passarada, como sempre acontece quando não está chovendo, fez grande algazarra desde as primeiras horas de claridade. Diversos cantos e trinados vindos das copas das árvores e dos telhados da vizinhança em todas as direções. Bandos de andorinhas e cambaxirras cruzaram o céu desde as primeiras horas da manhã e o canto do bem-te-vi, sempre o primeiro, foi ouvido da antena de TV.

Na meditação de hoje, de olhos abertos, olhar suave na paisagem mutante, vista através dos vidros da varanda. Depois disso, durante o período de contemplação e reflexões, após a leitura de “A lua numa gota de orvalho” com os escritos do mestre Dogen, acessando sensações corporais associadas ao meu permanente desejo por mais liberdade, a inspiração para um breve haicai:

nem se despede
escapando da rede
peixe com sede!

Eduardo Leal
Fotos de Eduardo Leal

Registro de temperatura

Rua e calçadas sequinhas

Panoramica

Bem-te-vi na TV

Percepção 10 – Manhã de 16/03/2013

O dia amanhece, depois de mais uma noite chuvosa, ainda com uma grande cobertura de nuvens no quadrante sudeste, mas com o céu mais limpo no quadrante sudoeste. Apesar do parapeito da varanda ainda molhado, prenúncio de um dia com bom tempo. Temperatura de 25,8C, às seis e cinquenta e cinco da manhã.

A passarada movimenta a folhagem das árvores da pracinha e interrompe o silêncio da manhã com um coro de diversas vozes. Destaque para o meu amigo bem-te-vi.

Um vizinho passeou bem cedo com seu cachorro, carregando aquele saquinho plástico fatídico nas mãos. Investigaram, juntos, cada árvore da vizinhança.

Na meditação de hoje, de olhos abertos, mantive o olhar na parede da varanda, no estilo dos zendo dos mosteiros zen budistas, inspirado na releitura de “A lua numa gota de orvalho” com os escritos do mestre Dogen, em espacial as “Regras para o zazen“.

Encontrei no livro um haicai ainda não postado, parido em 22/12/2012, no alto da página 26, próximo a um parágrafo que fala sobre a intemporalidade de um momento:

momento presente
contém todo o tempo
aqui e agora…

Interrompi minhas reflexões, depois da meditação, para me preparar para atender duas clientes de Consultoria para elaboração de Plano de Negócio, ainda pela manhã. Na parte da tarde, a prioridade é para a celebração do aniversário da minha filha mais nova. Almoço em família com a presença de seus amigos e amigas mais próximos, ao ar livre. Espero que o tempo colabore.

Eduardo Leal
Fotos de Eduardo Leal

Registro de temperatura

Quadrante sudeste

Quadrante sudoeste

Vestígios da chuva da madrugada