Percepção 60 – Manhã de 30/04/2013

O dia amanheceu sem nenhuma nuvem e com as ruas e calçadas sequinhas. Céu azul claro em todos os quadrantes. Uma leve brisa era percebida pelo movimento sutil na folhagem das árvores da pracinha. Temperatura de 21,8C, às seis e dezoito dessa quadragésima segunda manhã de outono.

A passarada, como sempre acontece quando não está chovendo, fez grande algazarra desde as primeiras horas de claridade. Diversos cantos e trinados vindos das copas das árvores e dos telhados da vizinhança em todas as direções. Bandos de andorinhas e cambaxirras cruzaram o céu desde as primeiras horas da manhã e o canto do bem-te-vi, sempre o primeiro, foi ouvido da antena de TV.

Na meditação de hoje, de olhos abertos, olhar suave na paisagem mutante, vista através dos vidros da varanda. Depois disso, durante o período de contemplação e reflexões, após a leitura de “A lua numa gota de orvalho” com os escritos do mestre Dogen, acessando sensações corporais associadas ao meu permanente desejo por mais liberdade, a inspiração para um breve haicai:

nem se despede
escapando da rede
peixe com sede!

Eduardo Leal
Fotos de Eduardo Leal

Registro de temperatura

Rua e calçadas sequinhas

Panoramica

Bem-te-vi na TV

Anúncios